Especialista dá dicas de como honrar compromissos e garantir a saúde financeira dos negócios

Especialista dá dicas de como honrar compromissos e garantir a saúde financeira dos negócios

Tempo de leitura: 3 minutos

Momento ainda é de cautela e apreensão, diz João Custódio, da Fortus Group e da Fortus Capital

O ano está terminando e com ele o prazo para o pagamento de vários compromissos prorrogados por causa da pandemia, como o recolhimento do Simples. Ainda que o benefício do adiamento tenha dado um fôlego financeiro para o enfrentamento da crise e até mesmo a sobrevivência dos negócios, o momento é de cautela e apreensão, pontua o diretor executivo da Fortus Group e diretor da Fortus Capital, João Custódio. O grupo reúne empresas de contabilidade, fiscal e área societária, recursos humanos, auditoria e consultoria e tem sede em Porto Alegre. 

Ele lembra que o fluxo de caixa das empresas será ainda mais impactado devido ao pagamento do 13º salário e de férias. Por isso, nesta entrevista, ele dá dicas de como honrar os compromissos e, ao mesmo tempo, garantir a saúde financeira dos negócios. Confira: 

Quais alternativas o empresário terá de buscar para garantir a saúde financeira dos negócios neste momento?
Há, pelo menos, quatro passos a serem dados, a começar por revisar e reduzir custos. Outra medida é renegociar com fornecedores. Também é urgente revisar taxas de operações financeiras e, ainda, estar próximo e ouvir os clientes para entender as necessidades e ajustar processos, se necessário.

Qual a melhor saída para quem está endividado?
Renegociar taxas de juros e alongar dívidas. Existem profissionais da área financeira preparados e especializados, que podem ajudar os empresários neste momento. Uma das alternativas que estamos recomendando para os nossos clientes é o empréstimo com garantia de imóvel, onde as taxas estão na faixa de 0,75% ao mês e prazos para pagar de até 20 anos.

Fintechs podem ser boas soluções no caso de inadimplência?
As fintechs e o uso da tecnologia em geral podem ajudar e muito. Um bom exemplo é a utilização de motores de crédito, tecnologia responsável por analisar o risco do cliente e determinar limites seguros para aprovar uma operação e que fazem a análise da capacidade de pagamento dos clientes, pois o importante é vender e receber,  caso contrário, trata-se de uma doação.

A economia, especialmente na Serra, vinha apresentando uma retomada. Com a inclusão da região na bandeira vermelha na última segunda-feira, muitos empresários estão com receio de queda no faturamento mais uma vez. Qual o seu conselho?
Devemos manter o sinal de alerta e manter as ações de contingência a pleno. Como exemplo, é manter parte da equipe home office, pois essa instabilidade das bandeiras e, por consequência, do mercado irá persistir até iniciarmos o processo de vacinação. Importante também o empresário entender o novo normal e como os novos comportamentos de consumo irão impactar no seu negócio.

O que o empresário deve priorizar neste momento na hora de pagar suas contas?
A prioridade são as contas que mantêm a operação viva, como salários e fornecedores estratégicos.

Empréstimo neste momento é aconselhável?
O importante é saber qual o motivo do empréstimo. Esse momento é ideal para rever e enxugar processos, analisar ociosidades, rever a manutenção de clientes deficitários. Empréstimo para financiar investimentos ou uma emergência é uma alternativa de solução, mas para financiar uma operação deficitária é um grande problema.

Em que casos o empréstimo pode valer a pena?
O empréstimo deve ser priorizado para deixar a empresa mais leve, com máquinas novas, softwares, enfim, para investir em ações que levem ao aumento da produtividade e competitividade. 

Gaucha Zh – Juliana Bevilaqua