Os desafios dos pequenos comércios com a alta da inflação

Os desafios dos pequenos comércios com a alta da inflação

Tempo de leitura: 1 minuto

Inflação em alta quer dizer, consequentemente, subida de preços, fatores que desafiam empreendedores que precisam driblar essas questões e ainda manter seus negócios rentáveis.

Em meio a este cenário, de aumento nos alimentos, combustíveis, gás de cozinha, energia elétrica, entre outros, os mais impactados acabam sendo os pequenos negócios. Conforme avaliam especialistas em Economia, estes já trabalham no limiar, não possuindo capital de giro que suporte bancar todas essas altas.

E a pandemia agravou a situação, pois para a quase maioria desses pequenos empreendedores, as poucas reservas que tinham esgotaram-se, sendo arriscado investir em estoque de insumos, por exemplo, para, pelo menos, ter uma margem de lucro com alguma folga. Conforme comentou em reportagem ao jornal Zero Hora, de Porto Alegre, o diretor superintendente do Sebrae/RS, André Vanoni de Godoy, avalia que a saída passa pela busca de equilíbrio: unir a produção com o que será necessário utilizar em insumos e com o que pede o mercado em relação aquele produto ou serviço. Ou seja, prever demandas com a realização de planejamento.